Partilhar este artigo...
Share on FacebookShare on Google+Pin on PinterestTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPrint this pageEmail this to someone

adene

Com a preponderância cada vez maior da reabilitação urbana, torna-se importante desenvolver ferramentas de apoio para profissionais e consumidores que permitam promover a eficiência energética das várias componentes do edifício.

A ADENE-Agência para a Energia desenvolveu um sistema que, para além de permitir a caracterização energética de produtos não regulados (por exemplo, as janelas), incorpora outros aspetos associados à comunicação e à promoção da qualidade desses mesmos produtos. O SEEP Sistema de Etiquetagem Energética de Produtos permite que diversos atores associados ao processo de fabrico, comercialização, verificação de qualidade, certificação e associações profissionais, de um determinado material possam trabalhar em conjunto no sentido de promover esse produto e de potenciar a sua visibilidade e comercialização.

Mais do que um mero alargar da etiquetagem a outros produtos, esta ação concertada visa criar condições que permitem a realização de campanhas de informação e ações de divulgação, junto dos potenciais consumidores, promovendo a escolha de produtos mais eficientes.

O SEEP permite ao consumidor final interagir com os produtos através de um portal web que possibilita aceder à informação útil disponível. Aspetos como as características gerais dos produtos, catálogos, manuais, informação técnica, bem como o rastreamento de qualquer produto etiquetado pelo SEEP será possível, permitindo assim uma aproximação entre o consumidor final e os fabricantes.

Esta plataforma, acessível em www.seep.pt, potenciará igualmente a interação com outros sistemas, como a Certificação Energética de Edifícios e a recolha de informação de um modo muito expedito.

Com um perfil especialmente virado para o setor da construção, o arranque do SEEP aconteceu com a etiquetagem de janelas pelo especial papel que desempenha no balanço energético de uma habitação. A crescente utilização de janelas com classes mais eficientes de desempenho, quer por opção dos consumidores, quer por sugestão dos próprios fabricantes ou instaladores, potencia importantes economias na fatura energética das famílias. Se a isso adicionarmos o facto de as janelas mais eficientes também proporcionarem melhor conforto pela redução do ruído, temos ainda maior valor acrescentado na escolha deste produto com melhores classes de desempenho.

A etiqueta energética permite aos consumidores comparar entre soluções no mercado, mediante simples verificação da classe de desempenho energético, que vai de G (menos eficiente) a A (mais eficiente). A etiqueta inclui informação técnica mais detalhada, como os parâmetros de cálculo que serviram para determinação do desempenho energético, para além de dados complementares relacionados com as características do vidro e a capacidade de atenuação acústica da janela. O vidro ocupa aqui um papel preponderante sendo contabilizado em dois aspetos, o primeiro através do coeficiente de transmissão térmica superficial e o segundo através do fator solar, desta forma vidros baixo emissivos e de controlo solar serão preponderantes para obter classes energéticas elevadas.

Para além da etiqueta em grande formato fornecida com a janela, esta incluirá também uma mais pequena, incorporada no produto de forma permanente e que garantirá a rastreabilidade de cada produto.

O desenvolvimento da metodologia para obtenção da classe energética contou com o apoio do Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico em Ciências da Construção (ITeCons) e do Centro de nanotecnologia e materiais técnicos funcionais e inteligentes (Centi) e desenvolvido no âmbito do projeto “Rótulo voluntário para certificação de eficiência energética de materiais e soluções construtivas (CEEMSC)”, financiado pelo QREN, através do COMPETE – Programa Operacional Fatores de Competitividade, no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas (SIAC), com investimento proveniente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Por fim, prevê-se que a implementação deste sistema providencie, às empreses e ao consumidor, um maior esclarecimento sobre a eficiência energética dos produtos, induzindo assim a uma melhor promoção e escolha.

Rui Fragoso, Eng.º
ADENE – Agência para a Energia
Diretor do Departamento de edifício

etiqueta

Partilhar este artigo...
Share on FacebookShare on Google+Pin on PinterestTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPrint this pageEmail this to someone